EXAMES E 
PROCEDIMENTOS 
 
 
  
 
CENTROS 
AVANÇADOS 
 
 
  
 
EMERGÊNCIA 
24 HORAS 
 
 
  
 
ESPECIALIDADES 
MÉDICAS 
 
 
  
 
CENTROS 
CIRÚRGICOS 
 
 
  
 
 
CTI 
 
 
  
 
 
INTERNAÇÃO 
 
 
  
 
 
FONAUDIOLOGIA 
 
 
  
 
 
FISIOTERAPIA 
 
 
  
 
 
HEMODINÂMICA 
 
 
  
 
 
RADIOTERAPIA 
 
 
  
 
 
PORTAL DO PACIENTE 
 
 
  
 
 
PORTAL DO MÉDICO 
 
 
  


Segurança do paciente


As Seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente são um conjunto de medidas que ajudam as instituições de saúde a oferecerem uma assistência cada vez mais eficiente e segura para seus clientes, seja no diagnóstico ou no tratamento. As Metas são recomendadas pela Joint Commission International (JCI) – uma das mais importantes organizações certificadoras em Saúde no mundo. O Hospital São Vicente de Paulo é acreditado pela JCI desde 2008.

Conheça as Metas de Segurança do Paciente:


1- Identificar os pacientes corretamente

Pode parecer uma medida simples, mas a identificação do paciente deve receber atenção redobrada das equipes. Assim, garante-se que o tratamento correto chegue adequadamente ao paciente, reduzindo os riscos em todos os procedimentos, na administração de medicamentos etc.

2- Melhorar a eficácia da comunicação

Muitos profissionais, de diferentes especialidades, estão envolvidos no atendimento em Saúde. Por isso, a comunicação eficiente entre eles é fundamental para que a assistência seja integral e segura. A troca de plantões é um momento estratégico e o HSVP utiliza ferramentas e processos que permitem que as informações cheguem a todos da equipe.

3- Melhorar a segurança dos medicamentos de alerta elevado

Monitorar a administração de medicamentos em seus diversos aspectos (dose, horário, substância, periodicidade etc.) é uma medida de grande importância para instituições de Saúde interessadas em oferecer um atendimento com cada vez mais qualidade.

4- Garantir o local correto, o procedimento correto e a cirurgia no paciente correto

Essa Meta prevê a adoção de medidas de segurança antes, durante e depois de procedimentos cirúrgicos. Ao longo do preparo para a cirurgia, são checados cuidadosamente a identificação e o posicionamento do paciente, a lateralidade (qual lado será operado), o local, o procedimento e os equipamentos necessários.

5- Reduzir o risco de infecções associadas ao atendimento médico

Medidas de redução do risco de infecções são amplamente estimuladas pelo HSVP. Um dos exemplos é a Campanha de Higienização das Mãos, que acontece periodicamente e reforça, de maneira lúdica, a importância da higiene das mãos entre as equipes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse é um dos mais importantes hábitos para reduzir os riscos de infecção hospitalar.

6- Reduzir o risco de lesões causadas por queda do paciente

Alguns pacientes têm maior propensão a quedas do que outros. Isso pode acontecer por dificuldades de locomoção, ingestão de determinados medicamentos, entre outros fatores. A identificação desses pacientes e a adoção de medidas que evitem as quedas é uma das ações recomendadas pela JCI e adotadas pelo HSVP para ampliar a segurança dos pacientes.