HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias

Outubro Rosa: diagnóstico é a arma contra o câncer de mama

Outubro começou e, com ele, chega o alerta do movimento mundial de conscientização sobre a prevenção ao câncer de mama. Em 2020, a campanha tem o tema “Quanto antes, melhor”. Com o avanço da pandemia e a suspensão de exames de rotina, muitas pacientes deixaram de fazer o tão necessário rastreamento, que permite a detecção precoce do câncer de mama.

No Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) os serviços essenciais foram mantidos durante a pandemia, o de Mastologia foi um deles. No entanto, houve precaução por parte de muitas pacientes. “Tivemos uma queda de mais de 80% entre o número de consultas realizadas em janeiro e as de abril”, relata a chefe do serviço de Mastologia do HSVP, Juliana Murteira. A especialista ressalta que o número de consultas em agosto já está equilibrado com os registrados antes da pandemia, mas chama a atenção para um aumento dos pedidos de biópsia. “A retomada dos exames ainda é muito recente e o aumento na necessidade de investigação possivelmente se deve aos casos que ficaram ‘represados’ durante a pandemia”, pontua a médica. “É muito importante que as mulheres voltem a se cuidar e não adiem mais os exames que podem auxiliar no diagnóstico precoce do câncer de mama”, alerta ela.

Diagnóstico

O rastreamento mamário é considerado um dos principais aliados para a detecção precoce de um tumor. “O exame de rastreamento é aquele realizado na pessoa que não tem sinal ou sintoma que sugira doença na mama. O ideal é descobrir a lesão antes mesmo que a paciente possa perceber qualquer alteração na mama”, explica Juliana.

“A mamografia é o principal exame para a detecção do câncer de mama. Ultrassonografia e ressonância magnética são exames que a complementam e devem ser solicitados quando houver necessidade”, explica a especialista. Conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia, a mamografia deve ser realizada anualmente em mulheres com idade a partir dos 40 anos. “Em caso de pacientes de alto risco, recomenda-se que os exames sejam realizados mesmo antes dos 40”, reforça a mastologista.

O HSVP conta ainda com um exame para auxiliar a paciente com lesão suspeita nas mamas: “Desde março, estamos realizando biópsia percutânea no hospital. Ele é fundamental para a confirmação do diagnóstico. Realizar o procedimento no hospital possibilita maior integração entre os serviços de mastologia, radiologia e patologia, o que contribui para encurtar o tempo entre a identificação do problema e o início do tratamento”, destaca a médica. Ela adianta que nos próximos meses, o hospital irá ofertar o exame de ressonância magnética das mamas, “o que vai nos auxiliar no planejamento cirúrgico, avaliação de resposta a quimioterapia neoadjuvante e rastreamento de grupos especiais, como as pacientes de alto risco.”


Tratamento

O tratamento do câncer de mama deve ser individualizado. “Dependendo das condições clínicas da paciente, do estágio da doença, do tipo, tamanho e localização do tumor, vamos definir qual é o melhor tratamento, se vamos iniciar pela cirurgia ou pela quimioterapia. No pós-cirúrgico, há diversas opções terapêuticas, que também vão depender do tipo de cirurgia e do resultado da análise do tumor, entre elas, a quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia e terapias alvo”, esclarece a chefe do serviço, Juliana Murteira. O HSVP também disponibiliza os serviços de Oncologia e Radioterapia.

O câncer de mama é mais comum em mulheres acima dos 50 anos. Mais raramente, a doença também afeta homens. O envelhecimento é um fator importante para o aparecimento desse tipo de câncer – o risco aumenta em 10 vezes a partir dos 60 anos –, mas fumar, se alimentar mal, estar acima do peso, ingerir álcool com frequência, ser sedentário e usar hormônios sintéticos na menopausa também são fatores de risco que podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis.

Ter hábitos saudáveis e fazer exames regularmente são importantes atitudes para uma vida livre de doenças. O câncer de mama tem cura e o diagnóstico precoce é extremamente importante para o sucesso do tratamento.


«voltar