HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias


Osteoporose: 5 dicas para manter ossos fortes e saudáveis

 

A osteoporose atinge cerca de 200 milhões de mulheres em todo o mundo, a maioria acima dos 60 anos. No Brasil, estima-se que um terço das mulheres acima de 50 anos apresentam a doença, segundo estudo da Americas Health Foundation (AHF). Apesar de muito conhecida, a osteoporose ainda é pouco diagnosticada e, por isso, acaba sendo tratada tardiamente, muitas vezes após a paciente sofrer alguma fratura, sua principal complicação.

Apesar de ser uma doença inerente ao envelhecimento, a osteoporose pode ser prevenida ou ter suas consequências minimizadas com cuidados ao longo da vida. Conheça alguns:

  • Tomar sol: o cálcio é absorvido pelo organismo através da ajuda da vitamina D, que é sintetizada com a exposição solar. Vinte minutos de banho de sol por dia, de preferência no horário de sol mais forte, isto é, entre 11 da manhã e 4 da tarde, são suficientes para fazer com que a vitamina D ajude o cálcio a ser melhor absorvido pelo intestino e esteja à disposição para ser incorporado aos ossos, colaborando para o não aparecimento da osteoporose.
  • Consumir cálcio na alimentação: as principais fontes são o leite e seus derivados, além de folhas verde escuras, gergelim, chia, grão de bico, feijão branco, entre outros alimentos.
  • Evitar refrigerantes e sal em excesso: o consumo dos dois produtos pode causar a deficiência do cálcio, pois podem diminuir a taxa de absorção desse elemento.
  • Praticar atividade física: manter essa rotina é uma ótima maneira de ajudar o corpo a fixar o cálcio nos ossos.
  • Olho na balança: manter o peso adequado auxilia muito na prevenção da osteoporose. O sedentarismo diminui a taxa de renovação óssea, podendo gerar ossos mais fracos e suscetíveis a fraturas. Já o baixo peso pode levar o organismo a buscar reservas energéticas nos próprios músculos, causando uma diminuição de força, menor taxa de renovação óssea e maior risco de queda.





« voltar