HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias

Infecção urinária e cistite são a mesma coisa?

Aumento da frequência urinária, ardência na uretra, dor ao urinar são sintomas comuns em quem sofre de doenças como cistite e infecção urinária. Mas é importante esclarecer: as patologias são bem diferentes entre si, como explica a chefe do serviço de Uroginecologia do HSVP, Rubina Lúcia Fassio: “a cistite é um processo inflamatório da bexiga, que pode ou não ser acometida por bactérias. A infecção urinária é um processo infeccioso onde sempre há a presença de bactérias, seja no trato urinário inferior quanto no superior”.

A cistite pode ser causada por micro-organismos, sendo o mais comum, em 90% dos casos, a bactéria Escherichia coli. O problema é mais prevalente em mulheres devido à proximidade entre ânus e uretra, o que facilita a passagem dos micro-organismos. A diabetes sem controle também é um dos fatores de risco para a cistite por comprometer a imunidade dos pacientes.

Na ausência de bactérias, ocorre a cistite intersticial, chamada de síndrome da bexiga dolorosa. Ela pode causar sintomas como dor no baixo ventre, aumento da frequência urinária, dor ao urinar e ardência na uretra. “A demora em procurar ajuda médica pode levar a paciente a ter incontinência urinária de urgência”, alerta a especialista.


A médica ressalta que em alguns casos, o próprio organismo elimina as causas da cistite, mas quando há persistência dos sintomas, é preciso combater a doença com o uso de antibiótico. “Algumas pacientes podem desenvolver a cistite de repetição, e que podem ir se agravando. É muito importante seguir o tratamento recomendado pelo médico até o fim, mesmo que os sintomas desapareçam antes. Parar com a medicação antes do tempo pode provocar resistência bacteriana e dificultar a recuperação do problema”, adverte Rubina.

Já a infecção urinária ocorre quando as bactérias, que são comuns na região entre a vagina e o ânus migram para a bexiga, podendo chegar até os rins. Nesse caso, quando há comprometimento do trato urinário superior, caracteriza-se a pielonefrite, que pode provocar febre alta, calafrios e dor na região lombar e até prostração. “Caso tenha algum desses sintomas, procure um médico para que ele faça o diagnóstico e indique o tratamento correto para cada doença. Algumas patologias, como incontinência urinária, cistite e as infecções urinárias, muitas vezes deixam as mulheres confusas, sem saber bem qual especialista procurar. Aqui no HSVP contamos com o serviço de Uroginecologia, que é a resposta certa para atender a essas pacientes, pois reúne as especializações em Urologia e em Ginecologia”, explica Rubina Lúcia Fassio, que também é membro da Associação Internacional de Uroginecologia (IUGA) e da Sociedade Brasileira de Uroginecologia e Assoalho Pélvico (Uroginap – BR).

Para evitar inflamações e infecções do trato urinário, as dicas da especialista são: beber bastante água, não reter urina por longos períodos e cuidar bem de sua higiene pessoal: “use o papel higiênico de frente para trás e sempre que possível, depois de evacuar, lave-se com água e sabão. Outra dica importante é evitar o uso de roupas muito justas, assim como o uso prolongado de biquinis e maiôs úmidos ou molhados, o que facilita a proliferação de bactérias e micro-organismos”, orienta a médica.

«voltar