HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias


26 de Abril - Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Hipertensão pode reduzir em 16 anos a expectativa de vida

O dia 26 de abril foi a data escolhida pelo Ministério da Saúde para prevenir e combater a Hipertensão Arterial, doença capaz de reduzir em até 16 anos a expectativa de vida de pacientes que não seguem o tratamento adequado, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a hipertensão mal controlada é responsável, direta ou indiretamente, por 50% das mortes por doenças cardiovasculares no país. Estudo da SBC revelou que a doença atinge 32,5% dos adultos, cerca de 36 milhões de pessoas, e as suas complicações (cardíacas, renais e cerebrais) têm impacto elevado na perda da produtividade do trabalho e da renda familiar, estimada em R$ 13,7 bilhões.

O Dr. José Perrota Filho, cardiologista do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), faz o alerta: “A hipertensão arterial sistêmica não costuma causar sintomas. Chamada muitas vezes de ‘assassina silenciosa’, ela pode estar presente por anos, sem que o paciente perceba. Existem sintomas que são equivocadamente relacionados à doença, mas não são consequências dela e sim concomitantes, como dor na nuca ou sangramento nasal. Apenas quando a pressão alta já está presente há muito tempo, podem ocorrer as temíveis complicações, por exemplo: acidente vascular encefálico, encefalopatia hipertensiva, edema pulmonar agudo etc.”, explica.

O médico ressalta que o controle do sal na alimentação é a principal medida preventiva. “O principal vilão da pressão alta é o excesso de sal (cloreto de sódio). O consumo não deveria superar 5g diários. Claro, não se pode aboli-lo, tendo em vista sua importância para a função tireoidiana, quando ingerido na quantidade certa, mas a ingestão deve ser controlada”, observa.

O cardiologista dá as dicas para evitar a hipertensão arterial e enfatiza a importância da prevenção ainda na fase jovem. “Prevenção é o melhor de tudo. E deve ser realizada desde a juventude. Alimentação saudável e exercícios físicos regulares, além de controle do estresse, são muito importantes. Evitar e controlar a obesidade é também fundamental e o
tabagismo deve ser totalmente excluído. Deve-se evitar adição de sal aos alimentos, molhos e caldos prontos, além de produtos industrializados, cujas quantidades de sódio adicionadas são elevadas para conservação. Alimentos ricos em gorduras também devem ser evitados. Estas medidas preventivas são para todos, mas são ainda mais importantes para aqueles que possuem histórico familiar de hipertensão”, ressalta Perrota.


Fique atento! Um hipertenso que não se trata tem uma redução na expectativa de vida de 16 anos e meio. Procure o serviço de cardiologia do Hospital São Vicente de Paulo e fuja desta estatística!

 

«voltar