HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias


Dia Nacional da Saúde Ocular e do Médico Oftalmologista

Oftalmologista do HSVP alerta sobre os perigos do uso excessivo de smartphones e tablets para a visão

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 12% das pessoas que usam celulares ou tablets por até 6 horas têm problemas de visão. E o número de pessoas que podem apresentar o problema é grande. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 80% dos brasileiros já utilizam estes dispositivos.

O estudo revelou que as pessoas que expõem os olhos às telas por longos períodos têm dificuldade de enxergar a longa distância e fadiga visual. Por isso é importante olhar para um ponto distante de 5 a 10 minutos, a cada hora de navegação e piscar voluntariamente. Aumentar o tamanho das letras, regular a tela com o máximo contraste e pouca luminosidade também ajuda a evitar problemas de visão.

A Dra. Renata Rezende, do Centro Avançado de Oftalmologia do Hospital São Vicente de Paulo (RJ), sugere algumas medidas para evitar que o contato com as telas afete a visão. “Deve-se evitar o uso contínuo por horas prolongadas, pois, geralmente existe uma redução na frequência do piscar, responsável pela renovação da lágrima, havendo um estado de ressecamento ocular. Dar pausas para a ingestão de líquidos, piscar e até uso de lubrificantes oculares, dependendo de cada caso, podem trazer benefício. O cansaço, muitas vezes, pode estar relacionado ao uso destes aparelhos em distâncias muito próximas. De um modo geral, em pessoas com visão normal, recomenda-se que que a leitura seja realizada entre 33 e 40 cm de distância entre a tela e os olhos.  Além disso, o usuário deverá olhar ligeiramente para baixo, com ângulo de cerca de 20 graus para a tela”, esclarece. 

A oftalmologista faz um alerta sobre o uso noturno dos dispositivos: “O uso noturno, sem qualquer outra iluminação do ambiente, pode causar cansaço e fadiga visual. Isto ocorre pelas variações no estado de adaptação à intensidade da luz. Ou seja, o leitor desloca o olhar de forma intermitente entre a tela mais brilhante e o escuro ambiental, esta variação gera cansaço. Para evitar que isto ocorra, é preciso aumentar a iluminação ambiente para minimizar as diferenças de adaptação do olho, reduzindo, potencialmente, a fadiga visual. Independente das condições de iluminação do ambiente, o desempenho na leitura é muito melhor em textos com polaridade positiva: fundo claro com texto escuro, do que naqueles com polaridade negativa: fundo escuro com texto claro”, explica.

“O uso de telas antirreflexo em terminais de vídeo (notebooks, desktops, TV, tablets e smartphones) pode prevenir a propagação da luz a partir da superfície da tela e reduzir a intensidade luminosa, gerando menos sintomas de cansaço visual”, sugere a especialista.

O Centro Avançado de Oftalmologia do HSVP possui atendimento ambulatorial personalizado, com infraestrutura para exames e cirurgias. Em caso de sintomas ou dúvidas, procure um de nossos oftalmologistas. 


«voltar