HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias


26 de junho Dia Nacional de Combate ao Diabetes

Endocrinologista do HSVP ressalta a importância da prevenção

O Brasil é o quarto país com o maior número de adultos diabéticos no mundo, aponta a International Diabetes Federation (IDF). Nos últimos 10 anos, o número de casos cresceu cerca de 62%. A doença já afeta quase 9% da população brasileira, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde em 2016, atingindo 9 milhões de pessoas.

“O diabetes é silencioso e por isso muitos pacientes não sabem que têm a doença”, afirma a Dra. Renata Sacramento, endocrinologista do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP). O problema —  que influencia a forma como o corpo processa o açúcar do sangue — também é uma das principais causas de amputações, sendo responsável por 70% delas no Brasil, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

No diabetes tipo 1 (também conhecido como diabetes insulinodependente), a produção de insulina do pâncreas é insuficiente, pois suas células sofrem destruição autoimune — uma condição que ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis do corpo. Este tipo é mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens. “O diabetes tipo 1 representa de 5 a 10% dos casos. Apesar de ser mais comum em crianças e adolescentes, pode aparecer de forma mais tardia em adultos”, explica Renata Sacramento.

Já no diabetes mellitus tipo 2, ocorre resistência à insulina (hormônio que promove a entrada da glicose nas células), o que resulta em aumento da produção hepática de glicose e redução da sua utilização como fonte de energia pelo corpo. “O diabetes tipo 2 corresponde a 90% dos casos e aparece mais nos adultos. Nele, o paciente produz insulina, mas não consegue usá-la adequadamente (resistência insulínica) ou não produz insulina em quantidade suficiente para diminuir a glicose no sangue (deficiência insulínica) ”, esclarece a médica.

A prevenção é a melhor maneira de evitar este quadro. “O diabetes não tratado pode levar a várias complicações, como cegueira, gangrena, infarto do miocárdico, derrame cerebral e até morte súbita. Por isso, é muito importante prevenir, com atividade física regular e com uma alimentação saudável, rica em verduras e legumes e pobre em gorduras e açúcar”, ressalta a endocrinologista.

Sintomas do Diabetes

— Cansaço;

— Visão turva;

— Boca seca;

— Emagrecimento repentino;

— Aumento da sede;

— Aumento da quantidade de urina e da frequência das idas ao banheiro.

“Apesar destes sintomas aparecerem nos dois tipos de diabetes, eles se manifestam mais gradativamente no diabetes tipo 2. Além disso, nesse tipo podem haver sinais de infecção de repetição (infecção do trato urinário, candidíase), dificuldade de cicatrização e dormência nas pernas”, aponta a especialista.


«voltar