HISTÓRIA
 
 
  
   
 
MISSÃO, VISÃO
E VALORES
 
 
  
   
 
DIRETORIA
 
 
  
   
 
CERTIFICAÇÕES
E ACREDITAÇÕES
 
 
  
   
 
ESTRUTURA HSVP
 
 
  
   
 
CORPO CLÍNICO
 
 
  
   
 
PASTORAL DA SAÚDE
 
 
  
   
 
FIQUE POR DENTRO
 
 
  
   
 
HSVP NA MÍDIA
 
 
  
   
 
AÇÃO SOCIAL
 
 
  
   
 
CONVÊNIOS
 
 
  
   
 
PORTAL DO PACIENTE
 
 
  


Notícias

Dedos sobrepostos: uso de calçados confortáveis pode evitar lesão por desgaste

O uso de sapatos inadequados é uma das principais causas de uma condição conhecida como dedos sobrepostos ou overlapping, que provoca dor e alterações nas posições dos dedos. O problema é consequência de uma lesão causada por um processo degenerativo ou trauma na parte inferior do pé, conhecida como placa plantar. Com o colapso da estrutura que segura o dedo na posição correta, ele fica livre e a tendência é que comece a subir no dedo imediatamente ao lado. Com isso, o outro dedo fica livre para ocupar o espaço que ficou vago.

“Dedos sobrepostos são comuns em pessoas mais idosas porque é fruto de um processo degenerativo. Existem vários graus de lesão da placa plantar. O primeiro sintoma é a dor, principalmente ao andar. Com o tempo, o dedo vai subindo para encontrar o equilíbrio da musculatura – um músculo ou tendão fica relativamente longo e o outro mais curto, provocando uma alteração específica, e os dedos começam a assumir formatos variados, como, por exemplo, dedo em martelo, em taco de golfe, em garra e dedo enrolado”, explica o ortopedista especialista em pé e tornozelo do HSVP, Mário Henrique Loureiro.

Os dedos sobrepostos são mais comuns em mulheres. “Elas preferem os calçados mais elegantes, onde a parte onde ficam os dedos é bem estreita, obrigando-os a se adaptar àquela condição e provocando a lesão que leva à deformidade. Mas acontece com homens também. O pé do brasileiro é mais triangular e os sapatos, em geral, têm uma forma mais retangular. Por essa razão, os dedos ficam espremidos”, conta Loureiro.

A dor é, de fato, o primeiro sinal de que algo não vai bem nos pés. “Muitas vezes, o paciente sente dor e passa a usar um calçado mais confortável. A dor melhora e ele pensa que passou e volta a usar o sapato inadequado. E o problema volta a aparecer. Trata-se de um processo degenerativo, que evolui progressiva e lentamente. Para aliviar a dor, a pessoa evita apoiar o pé no solo e pisa com o calcanhar ou com a parte lateral do pé. No início, vai se adaptar bem, mas depois de algum tempo assim, vai ter dor no pé como um todo. É nesse momento, em geral, que decide procurar um especialista”, afirma o médico.

Para ele, o grande desafio é a mudança de hábito, capaz de eliminar a causa e distribuir melhor as forças do pé. “O importante é usar calçados mais confortáveis, com a caixa anterior maior, de preferência tênis. O ideal é que a pessoa consiga abrir os dedos dentro do sapato, como acontece com os sapatos masculinos na maioria das vezes”, reforça ele.

Tratamento

Quando um dedo sobe em cima do outro, é difícil que ele volte para a posição original sem algum tipo de intervenção cirúrgica. “Há uma certa restrição em relação aos procedimentos ortopédicos no pé porque, em geral, são cirurgias dolorosas e que restringem a movimentação. A boa notícia é que temos procedimentos que permitem o apoio no solo desde o primeiro dia pós-cirurgia, mas é preciso ter paciência para a recuperação funcional”, esclarece.

«voltar